quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Não podemos resistir ao Teu amo Senhor!

Não resistamos a esse amor verdadeiro que nos proporciona a alegria verdadeira!


terça-feira, 28 de agosto de 2012

VOCAÇÃO “A vontade de Deus para a minha vida”


Vocação é antes de tudo um chamado de Deus; e precisa está fundamentada neste chamado. Vontades, desejos, sonhos nada disso por ser fundamento para se viver uma vocação.
A primeira vocação é o chamado a santidade e esse chamado Deus faz a toda a humanidade; em segundo plano, mas nem por isso menos importante, está o chamado a uma estado de vida: “Sacerdócio, Casamento, Vida Consagrada, Celibato …”
Existe um ensinamento de Dom Bosco, propagado por Monsenhor Jonas Abib como bom salesiano; que é um caminho seguro para se discernir o seu chamado a santidade e seu estado de vida; ele dizia: “Deus fala nos fatos, é preciso estar atento aos fatos para discernir a voz de Deus”. Mas é preciso ter coragem para fazer a vontade de Deus, que sempre é um chamado a renuncia e a aceitar o sofrimento, para ganhar como prêmio algo incomparavelmente melhor.
Se renunciarmos os prazeres deste mundo, tão passageiros e supérfluos, e aceitarmos os sofrimentos próprios desta renuncia; receberemos como prêmio a paz e esperança da vida plena com Deus, que geram em nós a verdadeira felicidade.
Um breve testemunho:
Abri o coração ao chamado a santidade, que Deus desde sempre me fazia, em 2000. E o chamado ao caminho sacerdotal, como seminarista só o descobri em 2005. Foram cinco anos tentando fugir do chamado específico que Deus fazia ao meu coração. Quando em 2005, acompanhado por um sacerdote, aceitei o chamado de Deus e iniciei meu caminho para o sacerdócio; foi um momento de grande felicidade, tive a certeza como nunca antes, que estava acertando na vontade de Deus para minha vida, foi um dos momentos mais felizes da minha história.
Buscando um seminário que vivesse a espiritualidade da renovação carismática, encontrei o caminho vocacional da Canção Nova. Iniciei meu caminho vocacional com a Canção Nova em 2006, entrei na comunidade em 2008 e em 2010 iniciei meus estudos como seminarista.
Estou este ano no “ano missionário” como seminarista na missão Canção Nova em Cuiabá MT. O processo de ir descobrindo a vontade de Deus que se revela nos fatos ainda não acabou, ele é constante e vai durar até minha ida para Deus, na minha morte, ou em sua vinda gloriosa; e até que isso aconteça continuo no meu processo de descobrir a vontade de Deus para cada momento da minha vida!
Posso dizer que esta é a vontade de Deus para minha vida, está é a minha vocação! Sou um homem realizado e muito feliz.
Joaquim Silva Seminarista Missionário da Canção Nova

(Fonte: Canção Nova)

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Eucaristia, o nosso tesouro!

"A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue verdadeira bebida. Aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e Eu nele"(João 6,55-56). 

Quem recebe a Eucaristia recebe o Corpo do Senhor. É o Senhor que permanece em nós e nós, n’Ele. Diante de tantas dificuldades e tribulações, o nosso auxílio está em Jesus vivo e presente na Eucaristia. Este é o nosso tesouro! 

Ore comigo: 

"Senhor, te adoro pela Tua humildade em te fazeres presente simplesmente numa hóstia consagrada. Tu és Deus, Rei e Senhor, e toda a minha existência está em Tuas mãos. Tu estás no controle de todas as coisas e de todos os acontecimentos da minha vida. Hoje a minha adoração é esta: colocar a minha vida no controle das Tuas mãos. Não quero mais ficar controlando e dirigindo a minha vida, mas sim, saber que tudo está sendo controlado e regido por Tua autoridade. Essa é a maior graça e segurança para a minha vida. Obrigado porque estás presente na Eucaristia, e dali levanta a Tua súplica ao Pai, por mim. Obrigado, porque pedes por todas as minhas necessidades e colocas em meu coração amor ardente pela Tua presença real no Santíssimo Sacramento. Ofereço a minha vida. É tudo o que tenho, em troca do grande presente: Tu se dás a mim na Eucaristia. Amém!"

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

(fonte: Canção Nova)

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A FÉ NAS REDES SOCIAIS

[Fonte: Blog Destrave]

Por Daniel Machado
produtor do Destrave
Lady Gaga, Justin Bieber, Hianna, Shakira, Coca-Cola, Mac Donald’s são os mais populares no Facebook? Enganado! Jesus é “O Cara” mais popular na maior rede social do mundo, o Facebook, com mais de 4 milhões de interações na página Jesus Daily (Diário de Jesus), criada pelo médico americano Aaron Tabor.
Para a maior rede social do mundo, o hanking é medido não pela quantidade de ‘curtis’ que uma página tem, mas pela interação que ela realiza com os internautas, ou seja, sua capacidade de influenciá-los. Neste quisito, a página de Jesus tem a incrível marca de 4,981,281 milhões de interações (que corresponde a comentários, compartilhamentos, ‘falar’ e ‘ouvir’ seus fãs).
Para ter uma ideia, o segundo colocado – que também é religioso (Dios Es Bueno) – possui 1,788,648 milhões. A página The Bible (A Bíblia) fica com o terceiro lugar com 1,322,690 milhões de interações.
O que isso significa?
Para muitos, pode parecer apenas números sem sentido, mas em se tratando de um ambiente, no qual, muitas vezes, se sobrepõem a hostilidade à religião, o ranking revela que, no fundo, as pessoas ainda estão com fome e sede de Deus, seja no mundo off-line ou on-line.
Um outro fator é que os cristão estão cada vez mais ativos neste mundo digital. Pense que, somente no Facebook, as páginas sobre religião estão infinitamente acima de páginas de músicas, notícias, esportes ou políticas.
Uma outra pesquisa, realizada em abril de 2004 pelas agências Christian Vision e Premier Christian Media, ambas do Reino Unido, constatou que 84% dos cristãos daquele país disseram que as redes sociais são um enorme campo de missão. Deste número, 73% usam ferramentas como Twitter, Facebook e YouTube para manifestar, de forma intensional, a sua fé.
Os jovens são os mais ativos, nestes meios, e também são os que mais mantêm contato com pessoas não cristãs. 87% deles usam as redes sociais para manifestar a sua fé e 79% deste número acreditam que a melhor forma de evangelizar é por meio dos relacionamentos.
Qual a melhor forma de evangelizar na internet?
“A melhor maneira é não considerar a internet como um instrumento de evangelização, mas sim um ambiente, no qual se vive a própria fé”, diz padre Antônio Spadaro, doutor em teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma e escritor do livro Cyberteology – pensando a fé em tempos de rede.
Para o sacerdote é importante que o cristão seja ele mesmo na rede pelo testemunho. “Não basta postar conteúdo religioso, é preciso que a pessoa testemunhe suas escolhas e seus gostos como um cristão. É a vida que dá testemunho do Evangelho”, conclui o sacerdote.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Atleta espanhol vai entrar para o seminário após os Jogos Olímpicos de Londres

"Antiga" mas ainda tá valendo!

[Fonte: Salesianos Noticias]


Um atleta da delegação olímpica espanhola decidiu consagrar a sua vida a Deus e vai entrar para o seminário assim que terminada sua participação nos Jogos de Londres. De acordo com a Catholic New Agency, Carlos Ballve, jogador de hóquei em campo, participa pela primeira vez das Olimpíadas e espera aproveitar esta “experiência incrível e preciosa” para “ganhar” mas também “para crescer na vivência da fé e na partilha de Deus com pessoas vindas de todas as partes do mundo”.
O final da prova olímpica marcou o início da sua caminhada para o sacerdócio, num seminário na Bélgica, depois de um período de discernimento iniciado em 2005. No Verão desse ano, a sua vida mudou radicalmente, enquanto estava num campeonato do mundo na categoria de sub-21.A sua equipe “começou muito mal” a competição e Carlos decidiu “assumir um compromisso com Deus”.
O jovem disse a Deus que “se ajudasse a equipe a melhorar a sua prestação” ele iria até Medjugore (pequena região da Bósnia Herzegovina onde alegadamente ocorreram aparições de Nossa Senhora) em peregrinação com o pai. A sua seleção “fez história”, conquistou uma inédita “medalha de bronze” e o atleta cumpriu a sua promessa.
No entanto, apesar do reforço que aquele episódio trouxe à sua fé, “alguma coisa dentro de si dizia-lhe” que faltava algo mais à sua vida, “era livre mas não era feliz”. E foi assim que, mesmo no auge da sua carreira, Carlos Ballve decidiu parar e partir em busca de Deus.
A organização dos Jogos de Londres, concluídos em 12 de agosto, reservou espaços inter-religiosos de oração e silêncio para os 16 mil atletas de mais de 200 países, incluindo Portugal. O centro interconfessional da aldeia olímpica incluiu mais de 50 clérigos cristãos, judeus, muçulmanos, budistas e hinduístas, entre outros, para "oferecer apoio, cuidado pastoral e ajuda espiritual”, bem como vários momentos de celebração e encontros de grupo, refere o site do evento.
Momento de Espiritualidade
No pátio da igreja Católica de São Francisco de Assis, perto da Vila Olímpica, em Londres, alguns voluntários da Finlândia, membros da organização evangélica “Youth with a mission”, fizeram perguntas aos frades sobre a vocação católica. O espírito das Olimpíadas é também este, um novo diálogo entre as religiões cristãs e a vontade de alcançar juntos quem se afastou de Cristo. Nesta paróquia, frequentada por mais de mil pessoas todos os domingos, o grupo de jovens vindos da Finlândia colaborou com os frades vindos de Portugal, Argentina, Singapura, Ilhas Maurício, França, Colômbia e também da comunidade de Palestrina, perto de Roma.
Saindo juntos pelas ruas ao redor da Vila Olímpica, os jovens vestindo uma camiseta com a frase “More than gold” (mais do que ouro), a organização ecumênica que organizou as atividades de evangelização em todo o Reino Unido, e os frades com sua veste marrom.
“Não fazemos proselitismo, impondo o cristianismo”, explica Alice Lamula, voluntária finlandesa, que esteve na capital inglesa junto com seu marido, “procuramos fazer perceber aos presentes que os amamos e que nosso afeto vem de Jesus”. Depois os convidamos para as celebrações ou a tomar alguma coisa no espaço aberto pela paróquia, organizado para receber os visitantes que chegaram a Stratford para ver as competições.
“No metrô as pessoas ficam curiosas ao ver nossa roupa e fazem perguntas. Isto é também uma maneira de testemunhar Cristo”, explica padre Anthony Cho. “Por ocasião da cerimônia de abertura dos jogos organizamos uma festa: as pessoas de várias comunidades trouxeram comida e fizemos torcida uns pelos times dos outros, olhando as Olimpíadas num telão”. Para Padre Cho, os Jogos Olímpicos são uma ótima oportunidade para melhorar as relações dentro dessa comunidade multicultural em que os paroquianos vivem, com origens em diferentes países do mundo: Europa do Leste, Malásia, Singapura, Caribe.
Até o dia 10 de agosto, o Santíssimo Sacramento ficou exposto e houveram quatro noites dedicadas a orações de Taizé. No último dia das Olimpíadas, 12 de agosto, o bispo de Brentwood, dom Thomas McMahon, celebrarou a missa de ação de graças.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Falando de Vocação: #1 Vocação Leiga

[fonte: Blog Lance de Santidade]


               Pelo batismo trazemos como membros da Igreja, o anseio de viver o que Deus ao nos criar sonha para cada um de nós, ou seja, a santidade, esta se expressa na vocação fundamental a qual somos chamados a viver. Diante disso, como meios para alcançarmos essa santidade, Deus nos dá de presente as vocações especificas seja ela leiga, religiosa ou presbiteral.
            Assim, a vocação leiga (aquela que pode ser respondida por homens e mulheres, solteiros, casados, viúvos e consagrados) diz repeito àqueles fiéis que não são ministros ordenados. É impossível falar sobre a vocação leiga sem, primeiramente falar de vivência em comunidade, já que ao sermos chamados a compor uma comunidade, também somos convocados a estar com o outro a serviço de Deus, certos de que viver a vocação leiga é uma graça. Neste sentido, se pensarmos os espaços que os leigos ocupam na Igreja (pastorais e ministérios não ordenados) com toda ousadia diria eu que é um “pretexto” de Deus para nos ver mais perto Dele, e juntos alcançarmos a santidade.
            Desse modo, pela riqueza da vocação laical (leiga) percebe-se que ela se estende para além das ações realizadas na Igreja, uma vez que buscamos vive-la também em meio ao mundo, seja no trabalho, nas escolas, nas faculdades, os lugares que Deus nos chama a estar, pois pela vocação leiga “a Igreja se faz presente no mundo”. Somos chamados a mostrar ao mundo o porquê ser Igreja, o porquê ser católico, como dizia João Paulo II “estar no mundo e não ser do mundo” tarefa difícil essa, porém Deus capacita àqueles que Ele chama como ressalta a Sagrada Escritura. Portanto, busquemos incansavelmente descobrir qual vocação o Senhor nos chama a viver para respondermos no dia-a-dia, com grande alegria esse chamado.
Jéssica Amorim

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Agosto é o mês das vocações!

(fonte: Cancão Nova)

Padre Evaristo Debiasi

"Falar em vocação nos traz de imediato à mente a compreensão de um chamado e de uma missão a cumprir. Os documentos da Igreja ensinam que toda pessoa é vocação. Sob a luz da fé cristã, não nascemos apenas do encontro do amor de um homem com uma mulher, mas, todos somos pensados e queridos por Deus desde sempre e para sempre. Toda pessoa tem uma origem divina e humana ao mesmo tempo.

Em nossa origem divina e humana, feitos à imagem de Deus, somos todos missionários na essência de nosso ser. Cada pessoa, onde quer que se encontre, tem uma missão a viver e a cumprir. Ninguém é maior, ninguém é menor. Na fé cristã, o valor de alguém, não se mede pelo cargo que ocupa, mas, pelo amor que se vive. Somos membros vivos uns dos outros. Todos são necessários.


Essa consciência do valor da vida nos leva ao dever de compromisso na solidariedade com todos, principalmente com os mais pequeninos e necessitados de nosso mundo. Santo Agostinho afirma: “A maior glória de Deus é a dignidade do homem”.


É, portanto, impensável viver a fé sem a consciência de um compromisso sério de comunhão com Deus e com os irmãos. “Quem diz amar a Deus a quem não vê e não ama o irmão a quem vê, se engana a si mesmo e é mentiroso” (1Jo.4,20-21).


Como cristãos, devemos permanentemente nos questionar sobre as exigências práticas de nossa vocação e vida cristã. Como valorizamos nossa vida e a vida de todos que nos cercam? Que tempo investimos no cultivo dos valores da vida em família, na comunidade e na Igreja? É bom saber. Valor não é um conceito e nem apenas um conhecimento, mas, um bem que investimos e levamos a sério em nossa vida.


Esta é a verdade. No amor somente se partilha aquilo que se é. “Ama teu próximo como a ti mesmo” Lc.10,27. Quem não se ama e não é honesto consigo não ama a ninguém. Como querer transformar os outros, o mundo, se por primeiro não nos transformamos a nós próprios? Sem dúvida, o mundo precisa de doutores e de teólogos, mas precisa acima de tudo de pessoas que vivam sua fé. Neste mês em que à Igreja nos convida a refletir sobre a vocação, somos convidados a pensar sobre que valor damos a nossa vida e a vida de todos. Sem dúvida, faz muito sentido refletir sobre como cada um vive em família, na comunidade, na Igreja e em sua missão específica no mundo." 

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O tempo e as orações colocam tudo no lugar



Lembre-se de que não existe remédio melhor do que o tempo para certas questões da vida que, costumeiramente, consomem nossa energia além da conta. Às vezes, tentar, tentar e tentar, ou ganhar no grito e coisas do gênero não nos levam a lugar nenhum. Experimente, então, deixar que o tempo, regado com as suas orações, coloque as coisas no lugar. Além do socorro necessário, você vai ganhar mais paciência, misericórdia e paz.


Agora vamos rezar juntos? Clique no blog.cancaonova.com/ricardosa.

Seu irmão,
Ricardo Sá



(fonte: CN)

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Eai, você é chamado a que?

Venha neste sábado, saber um pouco mais sobre essa duvida que rodeia tantos jovens!


Rio 2013: "Eu Amo Ser Juventude JMJ" !


Por todos os lugares do mundo milhões de jovens vivenciaram e outros tantos milhões ainda irão viver a emoção de uma Jornada Mundial da Juventude.
Em todos os textos oficiais da JMJ Rio2013 se pode ler:
“Mais que um encontro que reúne milhares ou mesmo milhões de jovens, a Jornada Mundial da Juventude dá testemunho de uma Igreja viva e em constante renovação. São eles, os jovens, os protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade. Ela tem como objetivo principal dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, mas é verdade também que, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo.”
Essa é uma realidade compartilhada de 1986, quando aconteceu a primeira JMJ em Roma. Mais de 20 milhões de jovens já participaram dos encontros internacionais desde então.
Criado pelo Beato João Paulo II, um dos patronos da Jornada que acontecerá no Rio em 2013, o encontro move os jovens a deixar suas casas para estarem juntos, independentemente de raças, línguas, culturas. A JMJ mostra a força do jovem que testemunha a sua fé e afirma ao mundo a opção por Cristo em unidade à Igreja.